Shadow

TESOURO DIRETO: REALMENTE UM BOM INVESTIMENTO?

Se você chegou até aqui provavelmente está pensando em como multiplicar o seu dinheiro através de investimentos. Antes de realizar qualquer aplicação é necessário conhecer os tipos, taxas e rentabilidade que existem.

 Dentre as várias modalidades existentes temos o TESOURO DIRETO, mas, o que então é o Tesouro Direto e será que vale realmente apena o investimento?

O Tesouro direto é um programa de Federal criado em 2002 que permite que você compre papéis do governo, ou seja, que você empreste dinheiro a ao Governo, um dos objetivos é democratizar os investimentos.

Antes do Tesouro Direto, o investimento em títulos públicos por pessoas físicas era possível somente indiretamente, por meio de fundos de renda fixa, entretanto, cobravam-se elevadas taxas de administração, em aplicações de baixo valor, dessa forma, tornava-se pouco atrativo.

Foi em razão de suas facilidades que em 2007 o Tesouro Direto atingiu uma marca histórica de 100.000 investidores cadastrados e sem campanhas publicitárias apresentou crescimento contínuo em número de investidores e volume de vendas. 

Em 2010 a página oficial do governo permitia utilizar uma calculadora que permitia simular aplicações e após aprimoramentos apresentou resultados ainda mais precisos.

Buscando reforçar o seu papel como promotor da educação financeira, o tesouro Nacional, em parceria com a B3, lançou em setembro de 2017 a campanha #TransformaçãoPeloConhecimento.

A campanha trouxe como novidade o simulador TD, uma ferramenta que materializa o conhecimento necessário para que o investidor possa realizar as suas aplicações cm maior autonomia e confiança. 

Iniciado em 2015, o projeto visa auxiliar o investidor na escolha do título mais apropriado ao seu objetivo financeiro, comparando a rentabilidade do título indicado com as principais alternativas de renda fixa disponíveis no mercado: Poupança, CDB, Fundo DI e LCI/LCA.

Quais os tipos de Títulos públicos?

Existem três tipos: Prefixados, Pós-fixados e híbridos. Na modalidade prefixada é possível a visualização de quanto ganhará com base em uma data definida de resgate. Já na pós-fixada você só saberá o retorno do seu investimento no momento de resgate. Na modalidade híbrida parte do retorno é previsível e parte depende da variação de inflação. 

Quais as vantagens de investir no Tesouro Direto?

Uma das vantagens é sua democratização uma vez que permite compra de títulos a partir de R$30,00, ou seja, uma gama enorme de brasileiros podem investir. Também são 100% garantidos pelo Tesouro Nacional, o que o torna um dos investimentos mais seguros do País. 

Como investir?

O tesouro Nacional possui site e aplicativo oficial que permite fazer as aplicações, resgates e acompanhamentos de forma totalmente digital.

Quais objetivos principais do Tesouro Direto?

  • Investimento em títulos da Divida Pública Federal com acesso a qualquer cidadão.
  • Fomento a educação financeira dos brasileiros
  • Ser um investimento atrativo e competitivo para o cidadão
  • Fomentar a poupança 
  • Promover a competividade dentro do cenário financeiro no País

É importante também conhecermos alguns termos dentro desse mundo de investimentos para que você possa compreender tudo certinho antes de investir. Abaixo termos alguns desses termos:

Ativo – Numa linguagem simples, ativo são bens e valores que geram e representam crédito.

Passivo- É basicamente o contrário do ativo, o passivo representa um saldo devedor, por exemplo, uma despesa com aluguel é considerada um passivo circulante.

Benchmark- É uma previsão de quanto aquela aplicação será rentável. A meta que se espera ser alcançada.

Corretoras de Valores- São intermediadoras do seu investimento. Funciona como o Supermercado onde compramos utensílios, alimentos, etc.. Porém, tendo como produtos na “prateleira” produtos de investimentos.

Liquidez-  É a disponibilidade que poderá ser resgatadas as aplicações. Liquidez diária, por exemplo, quer dizer que você pode retirar o dinheiro de lá em qualquer tempo.

Lastro- É onde uma empresa aplica os ativos dela. É importante saber essa informação pois ela pode ser usada como base para a capacidade de retorno.

Rentabilidade- de forma simples, rentabilidade é o retorno que você terá pelo valor que foi aplicado.

 É considerável reconhecer esses termos pois, quanto mais amplo seu conhecimento dentro do mercado financeiro, maior será seu poder de decisão e de melhores investimentos.

Qual a rentabilidade do Tesouro Direto?

Bom, se tratando de rentabilidade, antes de tudo, precisamos deixar claro que irá depender da aplicação escolhida.

 Por exemplo, dentro do título prefixado, você poderá ter um rendimento de taxa fixa, ou seja, independe do cenário e da inflação do período. Para entendimento, consideremos que possua uma taxa fixa de 4% ao ano, isso significa que terá retorno definido de 4% todos os anos até o vencimento acordado. 

Observe que não foi levado em consideração as condições de mercado para os períodos. Para aqueles que acreditam que o cenário econômico pode ser desfavorável, é uma boa opção. 

Ainda dentro da taxa fixa, existe a semestral, com mesmos critérios, porém, não se faz necessário aguardar o vencimento, o resgate pode ser feito semestralmente, como o próprio nome sugere.

Outro tipo de taxa é a atrelada a inflação. Esse tipo de investimento é considerado híbrido.

Isso porque parte será fixa e parte será variável. Para melhor entendimento vejamos. 

Suponhamos que temos uma taxa fixa de 5% +IPCA, isso significa que você terá um rendimento fixo, definido de 5% e outra parte que será variável de acordo com alterações de IPCA.

Vamos falar agora da aplicação mais conhecida, a taxa Selic, o retorno será equivalente ao seu crescimento. Dentre as vantagens podemos citar a baixa volatilidade, desse modo, caso solicite resgate antes do período você não perderá valores. 

Além disso, esse tipo de investimento rende sempre de forma positiva, seu dinheiro crescerá sempre.

Com isso podemos entender que o Tesouro Direto pode ser considerado um excelente investimento, isso porque apresenta nível de segurança, rentabilidade, possibilidade de investimento a uma gama enorme de pessoas devido a valores mínimos de aplicação. 

Basta antes de escolher, analisar os tipos de títulos existentes e o que melhor se adequa as suas necessidades e realidade.

Se você possui um projeto para longo prazo, por exemplo, o tesouro prefixado pode ser ideal, uma vez que seu nível de liquidez não é dos melhores o que tornaria desinteressante resgates a curto prazo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *